Aprenda a limpar, lustrar e tirar manchas de móveis laqueados, laminados e de madeira

Quando aquele móvel bonito que enfeita um ambiente da sua casa começa a perder o brilho ou está manchado, vem a dúvida: o que fazer com ele agora? Primeiramente, esqueça a opção de jogá-lo fora, pois na maioria dos casos tem jeito. Veja abaixo dicas importantes para limpar corretamente e tirar manchas de móveis laminados, laqueados e de madeira. As dicas são da instrutora da disciplina de Materiais de Revestimento do Senac, Joilma Ruberth.

Móvel laqueadoMóveis revestidos de laminado melamínico 

Dia a dia: passe um pano com uma mistura de água e sabão neutro, ou uma solução multiuso encontrada em qualquer supermercado. Se quiser brilho, vá de lustra-móveis à base de silicone incolor. Nos puxadores, passe um pano úmido e outro seco, enquanto um pincel de cerdas suaves retira a poeira das dobradiças. 



Manchas: álcool, seguido de um pano umedecido.



Evite: limpadores instantâneos, saponáceos, composições à base de amônia, lustra-móveis coloridos e materiais abrasivos.



Móveis de acrílico e laqueados



Dia a dia: passe um pano seco e lustra-móveis, eles resolvem a questão. Para a limpeza mais profunda, empregue sabão neutro e água. Em peças laqueadas, é recomendável reaplicar a seladora uma vez ao ano, pois o acabamento é suscetível a ranhuras.

Manchas: se surgirem riscos, pode-se passar uma lixa bem fina (nº 150) e, depois, polir com cera automotiva. Mas cuidado com o número da lixa, para não arranhar ainda mais o móvel.

Evite: produtos à base de álcool e solventes

Móvel de madeira

Móveis de madeira

 

Dia a dia: passe apenas uma flanela seca ou um pano úmido, seguido de outro seco. Móveis de áreas externas demandam reaplicação semestral de seladora ou verniz. São indicadas fórmulas de limpeza específicas para madeira, diluídas em água, que vão hidratar e proteger a superfície.

Manchas: Removedor à base de água elimina cera, tinta e gordura, sem estragar o acabamento. Se houver marcas profundas (como a de uma panela quente), avalie se é o caso de retirar o verniz e reaplicá-lo. No caso de óleo, que tem maior penetração, dependendo da porosidade da matéria-prima, é praticamente impossível a remoção, ainda que se renove a película do acabamento. Para janelas desbotadas, só mesmo lixação e novo verniz.

Evite: álcool, cera, tíner, água sanitária e abrasivos.

comentários Fechados.